segunda-feira, 14 de maio de 2007

A Presença de Deus


" Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para as vossas almas. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo e leve." - Mateus 11:28-30

Frank Laubach, nasceu nos Estados Unidos em 1884. Tornou-se um missionário entre pessoas analfabetas, ensinando-as a ler para que pudessem conhecer a beleza das Escrituras(...) Não satisfeito com a sua própria vida espiritual, com a idade de quarenta e cinco anos Laubach resolveu viver em "contínuo diálogo com Deus e em perfeita receptividade à vontade dEle". Descreveu a sua experiência em forma de crónica, a partir de 30 de Janeiro de 1930, no seu próprio diário. Vou partilhar convosco algumas dessas passagens que encontrei no livro de Max Lucado - "Simplesmente como Jesus".

1 de Março de 1930: A sensação de estar sendo conduzido por uma mão invisível que segura a minha, enquanto outra mão estende-se adiante e prepara o caminho, cresce em mim a cada dia...Isso ás vezes requer um longo período da manhã. Determino não me levantar da minha cama até que esteja de acordo com aquela disposição mental a respeito de Deus.

18 de Abril de 1930: Tenho experimentado uma emocionante comunhão com Deus, a qual tem feito com que eu sinta aversão a tudo o que não esteja de acordo com Ele. Durante esta tarde, a presença de Deus me surpreendeu com a mais absoluta alegria e a ponto de pensar que nunca conheci nada igual. Deus estava tão próximo e tão maravilhosamente amável, que me senti completamente derretido, com uma felicidade e uma satisfação nunca dantes experimentadas.Após esta experiência que, agora, me sobrevém várias vezes durante a semana, a imundícia me causa repulsa, porque conheço o poder que ela possui para me arrastar para longe da presença de Deus. E após uma hora de íntima comunhão com Deus, minha alma se sente limpa como a neve que acabou de cair.

24 de Maio de 1930: Manter-me concentrado em Deus é um trabalho árduo, mas todas as demais coisas também deixaram de ser tão difíceis. Agora penso mais claramente, e não me esqueço das coisas com tanta frequência. Coisas que eu outrora fazia e me deixavam extenuado, agora faço com facilidade e sem qualquer esforço. Nada mais me preocupa, e não perco mais o sono. Durante uma boa parte do meu tempo, sinto-me andando no ar. Até mesmo o espelho revela uma nova luz nos meus olhos e na minha face. Não me sinto mais ansioso por coisa alguma. Tudo vai bem. Encontro-me calmo a cada minuto, como se cada minuto não fosse importante(...)

1 de Junho de 1930: Ah, Deus, que nova proximidade isso traz para ti e para mim, estar consciente de que tu sozinho és capaz de compreender-me, porque tu somente conheces todas as coisas! Não és mais um estranho, Deus! És o único Ser no universo que pode ser completamente conhecido! Estás dentro de todo o meu ser - comigo, aqui(...)

Segunda-feira passada foi o dia mais bem-sucedido de toda a minha vida. Consagrei todo o meu dia a fazer uma completa entrega a Deus... Lembro-me de como olhava para as pessoas com um amor dado por Deus, e em resposta as pessoas olhavam-me e agiam como se quisessem seguir-me. Pude então sentir que por um dia vi um pouco do maravilhoso impulso que Jesus possuía, quando andava dia após dia "inebriado da presença de Deus", e radiante com a comunhão interminável da sua alma com Deus.

Caros leitores, lanço agora algumas questões e aguardo os vossos comentários: Expressem os vossos pensamentos, sentimentos, emoções baseados na relação/comunhão que têm com Deus. Descrevam experiências relacionadas com a presença de Deus nas vossas vidas...

1 comentário:

Paulo Sempre disse...

Eu, ainda, não sou um crente. Ainda assim, respeito todos aqueles que não estão em sintonia comigo. Razão pela qual venho, gostosamente, visitar este blog.
Obrigado.
Paulo