quarta-feira, 2 de maio de 2007

Guerrilheiros e revolucionários

"Sempre sejam capazes de sentir profundamente qualquer injustiça praticada contra qualquer pessoa em qualquer parte do mundo.
Esta é a qualidade mais linda de um revolucionário."

Che Guevara

Tal com Che eu quero ser revolucionária e guerrilheira pelas estradas da vida.
A vida, na escola, é vivida no meio de injustiças e de dores, sobretudo dos adolescentes/jovens.
Passam pela vida ora na vontade de conviver/passar tempo com os amigos, ora na incerteza de um futuro que se apresenta a cada dia que passa mais avassalador e carregado de interrogações.
Ou porque têm que escolher...
Ou porque já escolheram e não era bem isso...
Ou porque escolheram a pensar num futuro risonho e promissor e que se lhes apresenta sempre mais tristonho e, quem sabe, sem grandes soluções.

Voltando ao Che, repudio a injustiça, a falta de verdade e a falta de perspectivas.
Daí todo o meu 'trabalho' de ouvir, ouvir, ouvir.
Falo-lhes na vontade férrea de um Homem que também soube ser guerrilheiro e revolucionário, tendo enfrentado com 'medo' o futuro que Lhe estava destinado, mas de peito erguido, pois nós estavamos bem necessitados de esperança e alegria de viver.
Na hora soube escolher os deserdados, os pobres, os doentes e os oprimidos, lutando sempre e sempre contra os instalados, os corruptos e os poderosos.
Falo-lhes, sem medo nem vergonha, desse Jesus que nos devolveu a vontade de lutar e de sorrir, mesmo no meio de lágrimas, incertezas, intolerâncias e indecisões.
Não foi fácil para Ele!
Não é fácil para nós, peregrinos da vida, que encaramos o futuro com algumas incertezas e muitas, muitas certezas. Ele é o nosso modelo e a nossa razão de tornarmos esta peregrinação mais suave e mais doce.
Está sempre disponível, oferecendo-nos o Seu ombro, feito de Amor, para aí descansarmos e podermos derramar todas as nossas lágrimas de dor e de raiva.

Bendito sejas Tu, Senhor do Universo, que fizeste do Teu Filho um como nós e, sendo um como nós também chorou, sofreu e enraiveceu, pois, homem verdadeiro, era frágil e poderoso.
Obrigada Pai da Vida por me fazeres compreender o quão pequena sou e, simultaneamente, o quão importante sou para Ti.

Olha sempre com ternura e muito amor para os jovens e permite-lhes encontrar o caminho que leva até Ti.
Obrigada
Andante






1 comentário:

Flôr disse...

Adoro o coro... faz-me pensar quando eu era criança! :)

Beijão da Flor