sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Deus não é senão Amor

Escrevi este texto em verso inspirado no livro "Viver o Evangelho" de François Varillon. Um livro que me tem encantado e aberto novos horizontes de fé.

Deus não é senão amor;
Amor que recria, ilumina, unifica,
cura, transforma, diviniza...

É preciso amar mais,
sempre mais,
até ao fim,
até à morte.

Sim, dar a vida pelos amigos,
se for preciso.
Só amando assim
seremos homens e mulheres verdadeiramente livres;
Porque o homem é homem quando ama;
quando se torna semelhante a Deus.

Somos livres quando não há egoísmo
misturado com o nosso amor.

Amar até doer.
Amar até alcançarmosa pureza absoluta do amor;
sem mácula de egoísmo,
sem retorno sobre si mesmo.

Amor é dom e acolhimento;
dom de si mesmo,
movimento para o outro,
preferência do outro
e não de nós mesmos.

Que significa a cruz?
É o despojamento do amor próprio,
da vontade própria
e do interesse próprio.

Deus não é senão amor;
Amor que exprime a sua plena profundidade
no perdão..."
Deus não só esquece a falta,
mas esquece o próprio perdão".

O Perdão é a graça das graças;
é o dom perfeito.
Por isso, temos de perdoar sempre;
"Porque aquele que não perdoa,
volta as costas a Deus,
ao que há de mais profundo em Deus".

Só experimentamos a paternidade de Deus no perdão.
Deus tem profunda alegria em perdoar.
Se quero que a minha alegria
seja semelhante à de Deus,
que é a alegria de perdoar,
é preciso que a minha alegria seja a de ser perdoado,
e que seja a minha suprema alegria.

Adaptado de um texto de "Viver o Evangelho" , de François Varillon

1 comentário:

Polêmica disse...

Muito bonito o teu poema. Tem uma frase que diz "Quer ser feliz por um instante? Vinga-te. Quer ser feliz a vida inteira? Perdoa".
Uma alegria imensa e um sentimento de alívio nasce em nós quando perdoamos, parece que nos sentimos mais livres, o perdão nos liberta de angústias e da raiva!
Que possamos aprender com Deus à como perdoar!

Beijão!