terça-feira, 18 de novembro de 2008

A ARTE DE SABER SE CALAR

Calar sobre a própria pessoa é humildade.
Calar sobre os defeitos dos outros é caridade.
Calar quando a gente está sofrendo é heroísmo.
Calar diante do sofrimento alheio é covardia.
Calar diante da injustiça é fraqueza.
Calar quando o outro está falando é delicadeza.
Calar quando o outro espera uma palavra é omissão.
Calar e não falar palavras inúteis é penitência.
Calar quando não há necessidade de falar é prudência.
Calar quando Deus nos fala ao coração é silêncio, é oração.
Calar diante do mistério que não entendemos é sabedoria.
Quando, na escuridão da noite, procuramos Deus e não o encontramos é porque não o procuramos em nossos corações.
Lembre-se que Ele jamais abandona seus filhos.

Extraído do Jornal de Opinião
Arquidiocese de Belo Horizonte

3 comentários:

Carla Isabel disse...

Deus:Pai omnipresente, que ama que entende, que acode, que mostra, que mima, que nos dá Fé para nunca calar ou esconder a Fé Nele ...PAI!

osátiro disse...

Não podemos calar o grito de desespero de 15 mil feridos e 50 mil desalojados Cristãos na Índia, vítimas de perseguições do fundamentalismo hindú.

Proponho um pequena msg para o email do "Chief-Minister" de Orissa(5oo mortos):
"Please, Excellence, STOP the crimes against the Christians"

csori@ori.nic.in

Ailime disse...

Grandes ensinamentos, estes, que aqui nos são propostos!
Que Deus vos abençoe e nos ajude a todos a abrir os nossos corações à Sua misericódia!
Bem-hajam.
Um abraço em Cristo.