segunda-feira, 10 de setembro de 2007

Aguarela da Tarde...




Quero escrever. Sinto vontade de escrever.
Não sei o quê. Fico à espera.
Como pescador, aparentemente calmo,
de cana em punho e olhos presos sobre o mar.

As ondas, indiferentes, vêm alterosas, lá de longe.
Rolam, correm bravas e espumam como feras.

Do céu, alto, caem jorros de luz, sobre uma avenida larga que se abre imponente, sobre o mar.
Vai de mim, ao infinito...

Nas profundezas do céu azul,
dormitam estrelas e, muito serenas,
as nuvens navegam...navegam...
Parecem albas caravelas...

Olhos ofuscados.
O pensamento deslumbrado.
O coração a saltar-me no peito, como batia em criança.
Avanço, caminho, caminho, sózinho, perdido sobre ela...
Até que chegue a hora de escrever.

2 comentários:

suruka disse...

E esperando pela inspiração
como quem espera pelo peixe.

...Escreveu o meu amigo ou amiga," algo muito belo ".

Parabens

bico de pato disse...

Fico contente e reconhecido com a tua visita.
Um abraço