sábado, 4 de agosto de 2007

Quando Não há ofensa


O homem aproximou-se do espinheiro.
Ergueu a mão para o tocar
e um "ai!" de dor brotou dos seus lábios.
Um rubi de sangue brilhou no seu dedo.
O homem limpou o sangue e disse fitando o espinheiro:
- Eu perdoo-te!

Admirei e louvei dentro de mim
aquele homem que possuía o doce dom de perdoar.

E aconteceu que veio outro homem.
Parou junto ao espinheiro,
ergueu a mão para o tocar, e o espinho feriu-o.
Mas o homem limpou em silêncio a ferida,
contemplou com amor o espinheiro,
e "não" disse "Eu perdoo-te!".

Tive, então, este pensamento:
"O primeiro homem era um santo: sabia perdoar!
Este outro não sabe!".
Mas Deus, interrompendo o meu pensamento, disse:

- Quem não sabe és tu!
- Como, Senhor? Então aquele homem...
- Sim, é um santo, porque perdoou quando foi preciso!
- E o segundo?
- É mais santo ainda,
porque não viu ali a
necessidade de perdoar.
E como eu fiquei perplexo,
com o olhar perdido na incompreensão
e na dúvida, Ele disse-me:
- O espinheiro fere, porque é espinheiro.
Ainda que ele quisesse nunca poderia perfumar.
O primeiro homem sentiu a dor da ferida,
e como não sabia nada,atribuiu a culpa ao espinheiro.
Mas, como era puro de coração, perdoou.
O outro homem sentiu a mesma dor,
mas como sabia que qualquer espinheiro fere,
pois o espinheiro é assim,
não se sentiu ofendido.

E assim não tinha o que perdoar.”

Desde então sofro menos
quando os espinhos me ferem.
Dói-me na alma a ferida,mas a minha alma sabe que não há ofensa.
É assim que do meu peito brota um piedoso amor
pelo espinho que não chegou a ser flor.
O meu sofrimento transforma-se em ternura
porque já aprendi a não ver ofensa onde não há!
Mas quando assim sinto,mesmo que o que me ofendeu e/ou feriu...
então, assim como Cristo me ensinou,
sigo a perdoar!”

(Desconheço o autor)

4 comentários:

Fa menor disse...

Lindo!
De facto, não podemos ver sempre ofensa...
por muitos feridos que nos sintamos, às vezes é a nossa sensibilidade que o permite porque, muitas vezes, ainda não adquirimos resistência suficiente aos espinheiros...que não podem ser de outro jeito. Nem todas as plantas dão flor e até as rosas têm espinhos.

Um santo domingo e óptima semana para todos.

Fa-

Paulo de Tarso disse...

fiquei sem palavras... vou tentar encarar assim os meus espinheiros!
lol

lua prateada disse...

Simplesmente maravilhoso...quando passo aki fico sempre deslumbrada e esquecida no tempo...é tão bom! e tu sabes como é.Obrigada pela passagem pelo meu bloguito.Beijinho com amor de Cristo da
SOL

Deusa Do Amor disse...

ola zita
gostei muito da tua visita ao meu humilde cantinho
tambem adorei te ler por aqui
voltarei concerteza
fica bem
beijo doce no teu coraçao